Coloração Pessoal

A coloração pessoal observa o efeito das cores comparado ao tom de pele, dos olhos e dos cabelos de cada pessoa.

Ou seja, quando você encontra uma pessoa e pensa: “nossa, como ela tá pálida, parece doente!” ou então pensa “gente, ela tá radiante hoje“, grandes chances dessa impressão ter a ver com a cor da roupa que a pessoa está usando no dia.

Há alguns meses atrás eu fiz um curso no Senac sobre esse tema, pra ajudar na minha profissionalização na área de moda e complementar meus serviços de personal stylist e consultoria. Foi um curso muito bom, super informativo e que me capacitou pra aplicar a análise de coloração pessoal em clientes. Único detalhe é que ainda não tenho o kit de equipamentos pra aplicar a análise na prática.

Mas ok. Isso não me impede de passar pra vocês um pouco do conhecimento que aprendi e, especialmente, minha situação pessoal, pra vocês terem uma noção do tema.

Primeiro, é feita uma análise do meu contraste. Ou seja, ele pode ser baixo, médio ou alto. Faz-se uma comparação da cor da pele com a dos olhos e dos cabelos. Neste quesito, eu sou médio pra alto contraste, porque minha pele é uma cor mais clara, com cabelos e olhos castanhos, mas sem muita diferença de cor.

Um contraste tipo, Juliana Paes #meachei

O próximo passo é definir se eu sou uma pessoa que combina com cores frias, quentes ou se eu sou neutra (e daqui se abre um mundo de possibilidades). No caso, eu sou neutra, pra dar mais emoção ao processo.

Beleza, se eu sou neutra, combino com uma infinidade de opções e o critério de escolha da minha cartela de cores é intuitiva. Deve-se testar as cores que ficam bem em mim, em um processo que é feito por uma profissional, em um local adequado, com iluminação boa e com uso de um kit de tecidos com cores específicas, pra testar a fundo o que realmente fica melhor pra cada pessoa.

Nisso, descobri que a minha cartela de cores é o OUTONO SUAVE.

Nada de cor gritante pra mim

Essa descoberta foi muito interessante pra mim, porque na verdade nunca gostei muito de algumas cores mais vibrantes, como o vermelho, por exemplo, embora seja uma super tendência pro verão, como já falei aqui. Lógico que essa regra não me impede de usar a cor que me der vontade, mas, se um dia eu tiver uma festa pra ir, como uma formatura, um casamento, ou um evento formal em que eu vou ser o centro das atenções, eu posso me valer da minha paleta pra achar uma roupa que possa me valorizar mais.

Também não vou me livrar de nada no meu guarda-roupas que não esteja na minha cartela, mas daqui pra frente posso me basear nesse conhecimento pra comprar algo novo.

É uma ferramenta super útil pra utilizar na moda, não só pra comprar roupas, mas também pra montar looks, porque a gente aprende a combinar cores de uma maneira diferente, que a gente nunca tinha pensado antes.

Se você se interessou em descobrir qual a sua cartela de cores, indico a minha professora de curso, que é uma ótima profissional. É só falar comigo pra pegar o contato dela.

E se quiser contratar os meus serviços, posso aplicar muitos desses conhecimentos de cores e coloração pessoal na sua rotina de vestir.

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *